Tratamento

Terapia Ocupacional em Neurologia

A Terapia Ocupacional em Neurologia Adulto e Infantil atua em indivíduos que apresentam disfunções ocupacionais advindas de uma lesão no sistema nervoso central e periférico.

No público adulto, o terapeuta ocupacional visa restaurar o desempenho ocupacional do cliente, otimizando suas habilidades e capacidades – resgatando o papel do indivíduo na sociedade – tornando-o tão independente quanto possível, apesar de incapacidades temporárias ou permanentes. São utilizados testes específicos para avaliar os componentes de desempenho sensório-motor, cognitivo e psicossocial, bem como levantar dados que permitam conhecer o contexto global do cliente, para assim favorecer a elaboração de estratégias de intervenção e um plano de tratamento, capazes de habilitar ou reabilitar o indivíduo para desempenhar, de forma satisfatória, atividades de seu interesse, promovendo maior qualidade de vida.

O tratamento está baseado em técnicas e abordagens de reabilitação motora e cognitiva. Tem como principal recurso a ocupação – de forma terapêutica. O terapeuta ocupacional realiza análise da atividade, onde a mesma é estudada detalhadamente, com objetivo de compreender melhor quais as habilidades e propriedades que preencherão as necessidades do cliente, adquirindo melhor desempenho ocupacional e promovendo a autoestima.

Dentre os principais objetivos de tratamento, são realizados treinos de Atividades Básicas de Vida Diária (higiene pessoal/autocuidado, banho, alimentação, vestuário, controle de esfíncteres, locomoção e comunicação), Instrumentais de Vida Diária (afazeres domésticos, criar e cuidar de filhos, uso de telefone, uso de computador, comunicação alternativa, gerenciamento financeiro, entre outras), de Trabalho, de Lazer e participação social.

Utiliza de recursos de Tecnologia Assistiva, a fim de melhorar as capacidades funcionais do indivíduo com mobilidade reduzida. Assim, auxilia na modificação e/ou adaptação ambiental, favorecendo a acessibilidade; avalia e confecciona adaptações para favorecer ou substituir funções que estão prejudicadas ou ausentes; realiza avaliação e confecção de órteses para os membros superiores, bem como, realiza avaliação, indicação de Cadeira de Rodas e treinamento do cliente para o uso adequado da mesma.

Na população infantil, os objetivos são os mesmos – de modo a desenvolver o máximo de autonomia na vida pessoal e social da criança. Antes da intervenção terapêutica, são realizadas avaliações específicas, a fim de identificar disfunções ocupacionais que a criança apresenta, tendo como enfoque os componentes sensório-motores, cognitivos e psicossociais.

São identificadas as limitações presentes nas áreas de desempenho de Atividades de Vida Diárias, escolar e de lazer. As atividades propostas durante o processo terapêutico são baseadas no interesse da criança, sendo as atividades lúdicas o principal meio para a reabilitação. Estas promovem a motivação durante o processo terapêutico, além de oferecer um meio ou ambiente que será fonte de estímulos para a criança otimizar suas habilidades e capacidades e, ainda, estimular o desenvolvimento cognitivo, social, desenvolver habilidades de autocuidado, funções sensório-motoras, contribuindo para o desenvolvimento da criança.

Quando necessário, também são utilizados recursos de Tecnologia Assistiva a fim de facilitar a autonomia, independência e inclusão social da criança.